X

whatsapp

#TudãoDaLola
#TudãoDaLola – Vai dar um pouco de…
2 de maio de 2016 at 20:57 0
“Vai dar um pouco de cu”. Recebi essa mensagem de um leitor em resposta ao último texto que escrevi. Resolvi mandar print pra um grupo de amigos pelo Whatsapp pra saber a opinião deles, mas aí descobri que o aplicativo tinha acabado de ser bloqueado. Me disseram, baixa o Telegram. Não sou obrigada. Por isso tentei fazer uma ligação pra um dos amigos do grupo pra contar o que tinha acontecido e ter algum apoio. Mas aí descobri que os telefones também tinham sido bloqueados. Parece que uma quadrilha usou do instrumento para assaltar um banco e eles estavam investigando a real participação e culpa dele, o telefone, no caso. Tadinho, não teve nada com isso - me disseram - mas não esquenta, manda uma carta. Achei aquela história de carta muito recatada pro meu gosto, então resolvi escrever um email. Mensagem escrita, print anexado, clico enviar e surge um pop up: “Para liberar seu acesso a essa ferramenta, por favor, responda a pergunta - A família tradicional brasileira é constituída de: a)uma mulher, um homem, filhos b)pessoas que se amam" Cliquei na opção B e meu acesso foi bloqueado. A tela ficou vermelha, Bolsonaro apareceu rindo em chamas me chamando de pecadora e na sequência meu computador explodiu. Quem mandou ser a favor do aborto, agora tenta sinal de fumaça - juro que não entendi a relação de uma coisa com a outra - mas foi o que me disseram. Só que nunca me ensinaram a fazer uma fogueira. Então achei melhor não usar de nenhum meio de comunicação (quem precisa deles?), nem mexer com fogo, era muito perigoso. Foi aí que decidi fazer como nos velhos tempos e visitar a casa dos meus amigos pra contar sobre a mensagem que tinha recebido. Estava confiante de que tinha sido a decisão certa, mas no meio do caminho fui impedida por uma blitz policial. Aquela rua tinha sido testemunha de um crime violento contra a democracia e não queria dar depoimento sobre o caso. Pra piorar, a rua tinha cuspido num dos policiais. Enquanto a rua não falasse, ninguém tinha acesso a ela. Melhor passar longe, foi o que me disseram. Por isso decidi usar telepatia. Mas como nunca treinei muito bem a técnica ao invés de acessar a mente de um amigo, fiz contato com a Dilma. Ela tava boladona com essa história toda, mas não podia fazer nada - foi o que ela me disse - estava muito ocupada com o role do não vai ter golpe ao invés de governar o país. E ainda completou: investe na telepatia que é o melhor que você faz, pelo menos aqui eles não te grampeiam. Mas fazer telepatia dá fome, então desisti de fazer contato com qualquer um e fui ver o que tinha pra comer.  E aí foi a gota d´água. Eu tolero ficar sem whatsapp, tolero ter o acesso a internet controlado pela bancada religiosa, tolero perder o direito de ir e vir,mas não tolero só ter coxinha ou pão com mortadela pra comer. Onde é que ficam os vegetarianos nessa putaria? Não escrevi, não liguei, não visitei, não comi e nem dei um pouco de cu. Fimwhatsapp-bloqueado
CONTINUE READING ...
#TudãoDaLola
#TudãoDaLola – Carência
17 de julho de 2015 at 01:55 0
Estou carente. Muito, pra caralho. Veio do nada, entrou sem pedir licença, sem bater na porta, mal educada que é. As tarefas do dia terminaram e bum! Quando vi, já tinha sido dominada e amarrada por ela, maldita carência. Recebi um newsletter de um psicólogo propondo: toda vez que sentir vontade de pegar o celular ou entrar numa rede social, experimente entrar em contato com uma pessoa de verdade. Amigo, a proposta é linda, mas a carência não agendou hora e resolveu chegar na calada da noite, quando não tem ninguém por perto. Nesse exato momento, estou sozinha em casa e não posso ter contato nem com o porteiro do meu prédio, que só trabalha durante o dia. Entrei no facebook umas 5 vezes, não resolveu. Duas entradas no Instagram, um post. Entrei de novo pra ver quem tinha curtido. Meu número de posts está diretamente relacionado ao meu índice de carência. Mudo a estratégia e me aventuro no Whatsapp que está às moscas. Nem um grupozinho sequer pra dar um alô, falar coisas que não quero saber, mas que poderiam funcionar me entretendo nesse momento. Cenário perfeito pra enlouquecer de carência. carencia Primeiro pensamento “pra quem posso ligar?” Viro o Gabriel pensador no 2,3,4,5 meia,7,8. Alô? Minha opção número um está muito ocupado e só vai aparecer depois da meia noite. Converso com outra amiga que está longe e até me ajuda, mas não resolve. “Escreve sobre isso no #TudãoDaLola de hoje. Pelo menos transforma o que você está sentindo em alguma coisa.” – Ela aconselha. Coloco no Google a palavra carência pra ver o que aparece. Falta de algo necessário, privação de. Necessidade afetiva. Depois leio um texto sobre carência num site qualquer onde uma mulher conta que toda vez que se sentia carente ia pro shopping comprar alguma coisinha e depois comia na praça de alimentação, pra ficar ali observando o movimento. Depois que tratou na terapia ela compra no máximo um cafezinho. Não, ainda não é isso. Minha carência pede toque, presença, cheiro, temperatura. O galerão da praça de alimentação e aquele barulho de senha - próximo, por favor! - não vão ajudar. Minha necessidade é física. Entro no Tinder, deslizo com o dedo por umas 30 fotos e só aperto X. Algumas pessoas comem, outras bebem, alguns compram e outras pelo visto resolvem no cafezinho. A carência bate e tentarmos fechar esse buraco – ou a sensação de falta - com algo que nos dê prazer. Mas nada disso resolve porque o prazer passa. Você pode até ficar muito feliz nos primeiros goles, nas primeiras mordidas ou na hora que sai da loja cheia de sacolas (rycah!). Mas essa sensação é efêmera, como fogo de palha e assim que vai embora, um beijo pra você querido que agora está de ressaca, mais gordo, pobre e ainda por cima CARENTE. Good News: o vazio faz parte da nossa natureza. Não tem tinder, facebook, amigo, família, peguete, namorado, macumba ou magia que faça desaparecer. Mas existe sim, uma forma de atenuar tudo isso e ela está ao alcance de todos. Concentre-se na sua respiração. Pode parecer muito simples e na verdade é sim. Respirar a gente não para nunca. Mas respirar consciente é uma coisa que fazemos muito pouco. Bateu o buraco existencial, carência, saudade ou aquele sensação que aperta no peito e dá um desespero? Respire. Isso tudo vai perder a dimensão e se tornar bem menor. Prometo que não dói e ainda é rápido. Inspire, expire. Respirar centraliza, como uma âncora que nos segura no oceano revolto da nossa mente. Respirar nos coloca no presente, no aqui e traz junto uma sensação de que está tudo bem. E de fato está. Garanto que é melhor que qualquer rombo no cartão de crédito. Eu respirei e passou. E o que não é passageiro nessa vida? Motorista e cobrador de ônibus. *Acabo de escrever esse texto e meu telefone toca. Uma amiga está na esquina da minha casa e perguntou se podia subir com cervejas. Breath. IMG_20150716_234407  
CONTINUE READING ...
#TudãoDaLola
#TudãoDaLola – WhatsApp
7 de maio de 2015 at 18:58 2
Na semana passada, @LolaClaure  deu início a sua nova coluna aqui no #BlogDoMaicon, o #TudãoDaLola! Ela é roteirista, produtora e atriz e vai trazer aqui, como o nome da coluna diz, um pouco de tudo! Pra conhecer um pouco mais sobre a Lola, dá uma olhada na série "Acabou o Amor" no YouTube, que ela escreve e atua! Linda, inteligente e simpática.. Você também vai amar a Lola!

WhatsApp

Acordo de manhã cedo. Pego meu celular e verifico as mensagens do Whatsapp. Dou uma passada no Facebook, uma visitada no Instagram. Sem sair da cama, ganho alguns likes e novos seguidores.

Tomo um copo d´agua pra limpar o organismo. Li que é bom. Depois um suco verde pra desintoxicar. Dizem que é bom também. A receita?

½ maça, 1 limão espremido, 1 gelo de couve (esse eu ensino a fazer na próxima semana) e um pouco de água. Bato tudo no liquidificador e pronto.

suco-verde-tudão-da-lola

Desintoxicada,pego o celular de novo. Alguém que também acordou cedo já respondeu. Faço uma tapioca de queijo e banana. Sem gluten, dizem que glúten faz mal. Queria cortar a lactose, mas adoro queijo. Como em pé, enquanto dou uma olhada no email pelo aplicativo do celular.

Vou fazer academia. Penso em deixar o celular em casa, mas vai que alguém importante me liga, então levo comigo.

Ninguém importante liga. No caminho de volta mando alguns áudios andando pela rua. Chego e vou ao banheiro. Quando percebo estou sentada no vaso vendo o feed de notícias.

Tomo banho e deixo o celular dando aquela carga para o resto do dia que acabou de começar. A bateria não dura mais. Lembro daquele Nokia tijolão que a bateria durava 3 dias. E você ainda podia isolar ele do 3º andar que não quebrava. Hoje meu celular com muito aleluia dura meio dia(como a meia maça do meu suco).

nokia-mono

Já não sei se é a bateria que não dura ou se sou eu que não deixo a bateria durar. Sem resposta, saio de casa e levo o carregador.

Antes a gente pedia uma xícara de açúcar pro vizinho. Pedia as horas pro desconhecido na rua. Pedia ajuda pra achar uma rua no mapa. Hoje a gente pede tomada pra carregar o celular, senha de Wi-fi e usa o Waze.

Momento it girl. Acessório obrigatório da bolsa: um carregador portátil. De preferência que combine com seu look do dia. Não cometa a gafe de usar um carregador portátil listrado se você está acima do mesmo. Listras engordam. Se você ainda não comprou, corra e adquira o seu no camelô mais próximo.

Sou viciada mesmo, apegada. Se em algum momento você se identificou na história, bem vindo ao clube. Li que vício em celular já tem um nome cabeludo de doença e é analisado pelos psicólogos. A doença do século.

whatsapp-simbol

“Brrr” (vibra o celular no silencioso) - uma nova mensagem da minha avó. Um meme qualquer. Rio em silêncio. Respondo: HAHAHAHAHAHAHAHA. Se estiver com preguiça, a resposta é: rs.

No começo do ano disse que iria usar oWhatsapp duas vezes por dia. Mandei mensagem para meus principais grupos:

“Queridos, olharei oWhatsapp apenas uma vez de manhã e uma a noite. Para assuntos urgentes, por favor, liguem”.

Durou um dia.

Agora o Whatsapp manda áudio, agora ele faz ligação. Daqui a pouco ele cozinha e faz um filho. E você aí achando que o Google ia dominar o mundo. Fico pensando o que vai acontecer com a Tim, Claro, Vivo… Daqui alguns anos, todas mortas.

Me lembro de quando a moda era o Fotolog. Me perguntava como vivia antes dele. Hoje tento me lembrar de como era minha vida sem internet no celular, sem selfie, sem foto editada, sem foto postada. Sem likes e compartilhamentos. Sem o ícone verdinho com um telefone branco dentro. Não me lembro.

Vou deitar. Mando novas mensagens e entro no modo avião, mas antes mando uma mensagem pro grupo da família com a boa entonação de um William Bonner: boa noite.

Carinha piscando com beijinho saindo coração da boca.  Coração vermelho. Coração rosa. Amor em símbolos.

beijo-coração-whats

#tudaodalola

E se você também se sente um viciado em Whatsapp, escreva sobre isso nos comentários.

CONTINUE READING ...