X

repense

#FaloMesmo
#FaloMesmo – Dei piti!
22 de janeiro de 2016 at 01:39 0
Piti, barraco, chilique, se "embucetar", crise de bichisse, fazer a louca... dentre os vários sinônimos que eu uso pra designar esses momentos, todos significam a mesma coisa: do nada eu vou lá e chuto o pau da barraca. (eu disse chuto e não chupo, alto lá!) Já reparou que, às vezes -quase sempre-  nós mesmo é quem armamos as confusões nas nossas próprias vidas? Nós mesmos cavamos brigas, discussões, rompimentos... e, de repente, o que estava calmo, vira uma tempestade. Tudo por causa de um piti nosso. Eu já cansei de dar piti na minha vida. No geral, sou muito calmo. Engulo sapos, elefantes, cidades inteiras. Mas, do nada, BUM! Explodo sem aviso prévio. Dou o maior piti, armo o maior barraco e não sobra nada! Pareço um terremoto que chega sem avisar e derruba tudo e todos. A verdade é que eu odeio dar piti. Acho que tudo na vida se resolve com diálogo, com calma. E sempre reflito sobre isso: Por que mesmo odiando "dar piti", eles acabam acontecendo de vez em quando? Toda vez que eu dou piti, me sinto tão mal, que acabo pedindo desculpas até pra quem nem devo satisfações. Me sinto um lixo e mesmo sabendo que em alguns pontos até tinha razão, depois do piti, tenho até preguiça de mim mesmo. Minha intenção é que cada vez menos essas situações "pitizentas" aconteçam na minha vida. E, analisando todos os pitis que eu já dei, cheguei a um denominador comum: EGO. Todas as vezes que eu não consegui segurar a onda, conter meus impulsos negativos, minha raiva, indignação e transformar todos esses pontos ruins em um bate papo de "gente grande" foi porque eu estava motivado por alguma razão egoísta, alguma perturbação do meu ego. E o ego, convenhamos, é uma faca de dois gumes. Tem seu lado bom e essencial -afinal todos precisamos ter um pouco de ego, faz parte da gente- e tem seu lado terrível que me faz, particularmente, travar um briga com ele sempre! Ser artista mexe muito com o ego da gente e nós temos bem mais problemas egocêntricos que aqueles não artistas. Trabalhamos com a imagem, exposição, existe o fator fama e, juntando tudo isso, se você não cuidar, seu ego vira o filme de terror da sua vida. Como budista há pouco menos de dois anos e sendo uma pessoa que adora ler sobre física quântica, sei que ainda tenho muito a aprender. Mas uma das primeiras lições que entendi é que somos responsáveis por exatamente tudo que nos acontece, seja bom ou ruim, tudo em nossas vidas somos nós que, de uma forma ou outra, permitimos. Ok, resumindo a ópera: dome seu ego. Não deixe que o lado ruim dele prevaleça sobre você. Não deixei que ele dome sua mente em momentos de raiva e aborrecimentos, pois só assim você conseguira resolver uma situação ruim sem precisar dar um piti. E isso não significa que você precise se rebaixar a alguém, ser feito de bobo ou trouxa pois é justamente o contrário: não dar um piti é a maior prova de maturidade e calma espiritual. Significa que você está sempre vendo a situação de cima, como se numa briga, você conseguisse dar um "pause" e olhasse tudo de cima, imparcialmente, capaz de decidir o caminho mais justo. É fácil? Nem um pouco. Em um mês completo trinta anos e ainda tento evitar os pitis. Último domingo eu quase dei um. Me segurei. Cheguei a ameaçar, a anunciar o piti, mas consegui me conter e parar pra raciocinar. A intenção é sempre evoluir, portanto dá próxima vez, não quero nem pensar em anunciar um piti, pois ele já não será uma opção válida. Assim a gente espera, né? fica-calmo-e-para-de-dar-piti      
CONTINUE READING ...