X

primeiro amo

Amor No Ventilador
#AmorNoVentilador – Um vício chamado Paixão!
1 de dezembro de 2015 at 18:51 0

Tô Apaixonada!

Nada, nada, NA-DA nos deixa tão felizes e dispostos como quando estamos apaixonados – e correspondidos, obviamente, do contrário teríamos o desejo de uma morte rápida e fulminante. Quando nos encontramos nesse estado de plenitude o céu é mais azul, a vida é mais colorida, o canto dos pássaros é mais bonito e foda-se o cheque especial, a derrota do seu time, o dedo que você cortou abrindo a lata e que ainda continua sangrando porque o que interessa é que eu te amo e com você meu mundo fica completo! (Suspiros! Muitos suspiros!!). Realmente, inegavelmente e indubitavelmente é a mais delícia das delícias! É mais gostoso que sorvete de chocolate, cerveja gelada e brisa de verão. Mas – convenhamos -, que acompanhada dessa sensação de completude está o chão que insiste em sumir debaixo dos nossos pés e o medo de cair num buraco negro sem fim caso esse história de amor acabe tão logo começou. A paixão é toda capaz de tirar nossa paz e o ar dos nossos pulmões sem nos colocar nada no lugar. Seja por medo de perder a pessoa amada ou seja por pura saudade mesmo, porque, numa hora dessas tudo o que queremos é estar 25 horas por dia colados com o ser amado, respirando o mesmo ar, vendo o mesmo céu, sentindo a mesma temperatura e ai, desse universo tão cruel que ousa nos separar ainda que seja por algumas horas. A sensação é de morte eminente. Mas calma! Isso acontece com todo mundo e é cientificamente explicado. Esse estado de paixão absoluta altera nossos hormônios por completo a ponto de nos deixar em estado de abstinência quando estamos longe da pessoa, como na ausência de uma droga pra um dependente químico. Acha exagero? Antes fosse. O estado da paixão está bem ali, metida entre os vícios e os transtornos obsessivos. Acho que a partir de agora você vai pensar duas vezes antes de se entregar à uma tórrida, inebriante e avassaladora paixão. Só que não. Tem coisa melhor nessa vida do que se ver completamente apaixonado e correspondido? Não, não tem. E sim, somos que nem o louco do tarô nesse momento, com nosso pezinho fora do abismo nos colocando à disposição de todos os riscos recorrentes dessa delícia.

Se não acredita, dá uma olhadinho no que eu falo no vídeo! rs

Let´s falling in love!!!

E depois, se inscreva no canal! Porque é de graça e faz bem, igual paixão! <3
CONTINUE READING ...