X

nudez

Amor No Ventilador
#AmorNoVentilador – Troco Nudes
20 de janeiro de 2016 at 03:17 0

Quem nunca, né?! Quem nunca mandou, quem nunca recebeu?! Às vezes é irresistível mesmo, excitante, provocador! Mas é necessário seguir algumas dicas pra não correr riscos, porque essa brincadeira sedutora pode sair do controle e gerar bullying e constrangimentos desnecessários – que não queremos, não é mesmo? Não confie em ninguém, hoje você pode estar namorando e trocando nudes com seu(sua) namorado(a), mas amanhã vocês podem terminar e a pessoa pode querer te sacanear e jogar sua foto nas redes. Acontece todos os dias! Então, me parece bastante inteligente que você não mande nudes mostrando seu rosto, da um close nas partes íntimas e poupa sua carinha, porque, digamos que se sua bunda viralize, você pode negar até a morte que aquela bunda é sua, que aquele pinto é seu, etc.. Porque eu nunca vi pegar mal pra homem porque vazou nude, mas mulher é sempre muito zoada, então, meninas, se preservem!!

Muita atenção na hora em que você for mandar um nude via Snapchat pra alguém, num segundo de distração você pode errar o destino e enviar para toda a sua história. E o print tá aí pra isso! Então fique ligado! A menos que você não se importe de fazer a alegria da galera! E meninos! Não mandem nudes sem aviso prévio, sem saber se a pessoa quer de fato ver sua piroca. Nudes surpresinha, principalmente quando vocês não têm muita intimidade só vão servir pra dar um susto e/ou causar uma gargalhada e/ou causar nojinho.

Grata!

Assista ao vídeo com mais dicas e relatos de situações engraçadas acerca do tema e bom nude pra você!

CONTINUE READING ...
#TudãoDaLola
#TudãoDaLola – Peladona na Pracinha
9 de julho de 2015 at 18:56 0
Estar nu, pelado, peladão. Isso é uma das coisas mais raras que fazemos nos dias de hoje. E não vale dizer que você fica nu todo dia pra tomar banho, que curte dormir pelado ou lembrar daquela única aventura com os amigos na praia de nudismo, com toda a vergonha do mundo e que você talvez nem tenha pisado na areia, porque pra pisar precisa tirar a roupa. Eu adoro ficar pelada. Amo mesmo, mas todo dia quando acordo visto uma roupa. Por que? Porque me ensinaram que é assim e pronto. Porque vivo num esquema – grupo de pessoas amontoadas – ou sociedade onde a nudez é proibida e castigada. Caso eu decida sair na rua agora pelada, sou presa. Coitada daquela menina, tão linda, tinha tanto potencial, mas foi presa. Cometeu um crime. O que ela fez? Matou alguém? Não, pior, mostrou o corpo. Peladona na pracinha. peladona-na-pracinha Enquanto isso num dia de Sol, homens andam pelas ruas expondo seus mamilos. Do que eu estou reclamando? Posso mostrar os peitos na Sapucaí em rede nacional num período específico do ano que está tudo bem. Calcinha, meia, soutien, blusa, calça, casaco, cachecol.  Me escondo dentro de diversas camadas.  Aproveito e escondo outras coisas também: o que penso, o que sinto, o que sou. Tudo por debaixo da roupa. Assim fica mais fácil play the game. Menos verdadeiro também. Mas afinal, quem precisa de uma vida mais verdadeira, com relações mais honestas e vínculos mais profundos? Aí vêm os artistas, aqueles maluquinhos da sociedade e ficam nus por aí. Fazem arte com nudez. Mostram corpos. Desnecessário. Parece falta do que fazer. Pra que isso? Pra questionar aquilo que está posto. Aquilo que chamamos de verdade. Imagina se algum maluquinho nunca tivesse questionado que a Terra é quadrada e que somos o centro do Universo? Que menstruação é coisa do demônio? Ou que manga com leite pode matar? Viveríamos até hoje acreditando na história pra boi dormir que os donos das fazendas inventaram pra que os escravos não tomassem o seu leite. Não sabia? Agora sabe. Na época, leite era uma iguaria e manga tinha pra tudo quanto é lado. Ufa, ainda bem que existem os maluquinhos, né? terra-quadrada Eu sei que é muito louco imaginar uma sociedade onde todos possam andar nus. Também me parece estranho pensar em mulheres andando sem camisa pela rua. Mas isso faz parte do novo. O diferente sempre causa estranhamento num primeiro momento. Depois acostuma e vira normal. Como quando você se acostuma com a beleza daquela vista incrível ou daquela pessoa que você vê todos os dias e nem acha mais tão bonita assim.

A vista é a mesma. A pessoa também. O que muda é o nosso olhar pelas coisas.

O que não dá é continuar achando que Coca Cola é remédio pra dor de cabeça e distúrbios nervosos. Acredite, foi assim que o seu refrigerante preferido começou a ser comercializado. Então abra a felicidade e abra essa cabeça que aí dentro tem muito mais espaço e possibilidades pra descobrir do que você e eu podemos imaginar. Pra quem está escondido embaixo das roupas/camadas/proteções (chame como quiser) o mundo continuará pra sempre quadrado.  
CONTINUE READING ...