X

como assim

#Maicaquices, Moda, News
COMO ASSIM? – Minha linha de produtos!
3 de abril de 2016 at 20:38 0
Como artista temos sempre que inovar, criar e ousar. Um dos meus sonhos sempre foi ter uma linha de produtos onde eu pudesse expressar minha criatividade, meu gosto e também opiniões. Há oito meses atrás, junto com a COLETIVE, começamos a pensar  em uma marca que representasse nossas ideias, nossa criatividade e nossa necessidade de criar! E assim surgiu a "COMO ASSIM?"! Uma marca disposta a ser criativa, a questionar e brincar com o imaginário de todos. Produtos que trazem a tona nossa alegria e jeito de ser! Minha peça preferida é a regata unissex "RESPEITO". Uma estampa desenvolvida por todos nós pensando no que o mundo mais precisa hoje em dia: respeito. A diversidade, a natureza, aos homens, às mulheres, aos LGBTS, a vida. RESPEITO. _MG_8863 _MG_8880 Confira outros produtos da nossa loja: Captura de Tela 2016-04-03 às 16.16.30Entre em nossa loja Como Assim? e também curta nossa fanpage no facebook! E aproveite as promoções de lançamento! BannerPromocao  
CONTINUE READING ...
#TudãoDaLola
#TudãoDaLola – Como assim você não sabe?
28 de maio de 2015 at 22:41 0
Estava numa festa numa roda de amigos que começou a discutir sobre os textos do Caio Fernando de Abreu. Eu nunca li um texto do Caio e num primeiro momento, me senti mal por isso. “Como assim você nunca leu Caio?” – Esse foi o pensamento que me ocorreu. Se você é da minha turma e nunca leu ou não faz nem ideia de quem seja essa cara, substitua o nome Caio para aquele momento na roda de amigos que alguém menciona um nome, um filme ou uma música e quando você diz que não sabe do que se trata recebe como resposta um sonoro “Como assim você não sabe?”. de-que-planeta-voce-veio Poderia sair correndo dali, ler o maior número de livros do Caio - ou dependendo da preguiça - apenas pegar diversos resumos na internet e preparar meu estoque de opiniões para a próxima vez, mas percebi que aquela conversa nada mais era do que um tentando mostrar para o outro quem sabe mais e assim por diante. Como um pavão que mostra as suas penas. Chato. Percebam: sei que pelos outros que Caio é bom, apesar de não saber do que se trata Caio (visto que nunca li o tal do), mas mesmo assim me sinto no direito de julgar o outro que está ali esbanjando seus conhecimentos Caiozísticos. Chata, eu também. Enquanto isso na escola mais próxima, o pai, que não tira o olho da sua timeline para saber das últimas notícias  –  ele tem que estar informado para o papo entre os colegas de trabalho na hora do almoço - deixa seu filho para que esse também aprenda a ser informado e a emitir opinião, exatamente como aqui estou fazendo enquanto escrevo esse texto. Muito chata. Durante a minha formação escolar aprendi muito bem a decorar textos, dados, datas, números, nomes, fatos, regras, quanto mais, melhor e depois é claro, falar a minha opinião sobre isso tudo. Informação e opinião são hoje divisores de águas e nos separam em dois times: o informado e o não informado. O bom e o ruim. O inteligente e o ignorante. Na corrida do saber, nos alimentamos diariamente de novas informações, notícias, acontecimentos. Com a Internet, não basta saber o que acontece na sua família, bairro, cidade ou país. Precisamos saber o que acontece no mundo, quando não fora dele. O noticiário de Marte vem aí. Você não sabia? Já nem sabemos porque queremos saber. Apenas corremos atrás, como hamsters correndo na esteira. Sei da crise mundial, mas não sei que meu vô foi internado no hospital. Viu, rimou. tumblr_nnby9hDTMN1qbxi45o3_500 Que fique claro, saber não é o suficiente, é preciso opinar. Nos tornamos vomitadores de opiniões. Como aconteceu na última eleição, com as redes sociais virando um campo de guerra Dilma x Aécio. Queria saber aonde estão esses guerrilheiros agora. Provavelmente vomitando opiniões sobre a maior idade penal ou sobre o avião da Angélica. Qual vai ser o vômito de amanhã? tumblr_mpbgpgDtPj1strg8fo1_250 Funciona da seguinte forma: primeiro aprendo a saber, depois absorvo saber e em seguida opino meus saberes. Se você não sabe finja que sabe. Se não quer se posicionar, se posicione, mas nunca, em hipótese alguma, diga não sei. Como assim você não sabe? Em que mundo você vive? Na necessidade de sermos amados ou de sentir que fazemos parte de algo, opinamos de acordo com a imagem que queremos construir e passar para o outro. Opino, logo me autoafirmo. Todos dizem que gostam de Shakespeare, então eu também gosto, mesmo que minha opinião seja embasada no que os outros digam e eu nunca tenha lido nada desse cara. Todos gostam de Nelson Rodrigues, me too. Carlos Drummond, Monteiro Lobato, Luciano Hulck, Barack, maior idade, glúten, detox, manga com leite. Todos… e assim por diante. Leio um texto no Facebook e publico minha opinião. Passam-se dez segundos e o meu post já perdeu a validade, caindo para o final da linha da informação e novidade. O time da line é rápido. Tudo bem, nem me lembro mais do que se tratava mesmo. O acontecimento foi rapidamente substituído. Assim como substituímos coisas na sociedade líquida do descarte. Nossa cérebro já não consegue armazenar, a memória aqui não tem vez. Podem me perguntar. Eu sei de tudo. Leio 3 jornais. No meu Twitter me mantenho atualizada com as notícias em tempo real. Decorei as capitais de todos os países. Sei também as do Nordeste mesmo morando no Sudeste. Viu, como sou informada. Não, mas isso não basta. Posso saber também o nome de todos os envolvidos na operação Lava-Jato. Tempo é precioso. Esse ano passou rápido não foi? Nossa, parece que os dias estão correndo. Amanhã tudo muda e eu vou ler, saber e decorar tudo de novo. Estou com três jornais atrasados porque não tive tempo de ler.

SABER EU SEI, MAS NADA ME ACONTECE.

Quer dizer, é claro que me acontece. Eu trabalho. Olhem só o meu currículo, cheio de experiências. Estou estudando desde os 4 anos de idade. Passei pelo ensino fundamental, ensino médio, ensino superior. Aprendi a teoria toda e comecei a adquirir experiência no estágio, depois trainee. Saber, saber, saber. Fui contratada, comecei minha pós, mas também quero fazer MBA, mestrado, já pensando no doutorado. Saber mais. O tempo vai passando e às vezes – quando chego em casa e me deparo sozinha com as paredes frias do meu quarto - a sensação é de vazio, que não tenho uma vida própria, pessoal.

NADA ME ACONTECE.

Seria o trabalho inimigo mortal da experiência? Não sei, preciso terminar um artigo, não tenho tempo pra pensar nisso agora.

PARAR.

Tudo o que não fiz hoje. Acordei atrasada, li um texto enquanto fazia e discutia outras milhões de coisas ao mesmo tempo. O tempo urge e as horas se atropelam. Aula. Reunião. Engoli um salgado entre um compromisso e outro. Ensaiei. Chequei o celular. Reclamo do cobrador grosseiro do ônibus. Mas como posso reclamar que o outro não escuta se eu mesma não paro para escuta-lo? Li uma outra parte do texto. Estou atrasada. Tomo um café pra não dormir. Outro. Leio alguma novidade. O dia passa e eu não percebi. Chego em casa e tenho que reler o texto que tentei ler de manhã. Tudo de novo, porque já não me lembro de nada. Palavras, homem-palavra, produção de sentido, experiência, opinião, falta de tempo e excesso de trabalho. Preciso dormir.

PAREI.

Parar abre um nova possibilidade de sentido. É um abrir para a experiência que faz com que nos tornemos um território de passagem, travessia, risco, perigo e transformação. Nesse momento, criamos sentido ao acontecer. A vida me atravessa. Apago na cama babando no travesseiro. E amanhã? Tudo de novo.
CONTINUE READING ...
#FaloMesmo
#FaloMesmo – O Mundo Vai Explodir!
15 de maio de 2015 at 07:18 0

O MUNDO VAI EXPLODIR!

Fico me perguntando: onde o mundo vai parar?

Eu acho que não sou o único que, as vezes, tem vontade de parar o mundo e sair dele. São tantas barbaridades, preconceitos e atrocidades. É tanta falta de amor, educação, atitudes humanas que, realmente,  acho que, a qualquer minuto, o mundo pode explodir.

O capitalismo consome-se a si próprio a cada dia. É o ciclo sem fim da dívida. Não existe um ser humano sem dívidas ou um país sem dívidas. Tudo é dinheiro, exploração, lucro e ganância. O tempo todo, estamos devendo dinheiro a alguma instituição ou a alguém. Em contraponto, temos a miséria daqueles que o sistema exclui. Políticos não se cansam de roubar. Países não oferecem educação, saúde e saneamento básico. Humanos lutam para ocuparem cargos que organizem a humanidade, mas quando chegam lá, se esquecem disso. Governos e governantes ignoram a massa de miseráveis, extorquem a classe média trabalhadora e negociam com os ricos milionários.

Muitos religiosos pregam seu amor a "Deus", mas se esquecem de pregar o amor aos homens. Segregam, julgam, escolhem, compartilham o ódio e a ignorância.

A mídia esconde, mente, manipula e julga também. Carrega multidões cegas por caminhos tortos e de opiniões duvidosas. Multidões são carregadas apenas pelos interesses comerciais.

Nós, trombamos uns nos outros, diariamente, em busca da sobrevivência. Nos tratamos como estranhos e vivemos nossas vidas como se não dependêssemos de um bem maior. Jogamos lixo no chão, tropeçamos em mendigos, nos acostumamos a viver com a corrupção, com a violência, com a guerra, com a mentira, com o preconceito, com a poluição, com o descaso.

Não escrevo este texto do alto de uma montanha, como um santo, a fim de julgar esta humanidade, porque estou inserido em tudo o que cito. Claro, minha visão não deixa de ser um julgamento sobre o mundo. Mas, como alguém que não compactua com muitas coisas que vê, não consigo me calar. Como alguém que ainda sonha com um mundo melhor, não consigo entender. O que acredito, é que o mundo deveria ser muito mais simples do que é. Que somos todos iguais e devemos, acima de tudo, respeitar as diferenças. Que é possível haver uma ética comum que respeite e promova o amor ao próximo. Que, nesse mundo, não podemos fazer ao outro aquilo que ele não quer pra ele, porque somos diferentes!

Vidas valem menos que dinheiro. O mundo é uma bomba relógio.

Tic tac tic tac... Salve-se quem puder!

https://www.youtube.com/watch?v=qXtfbqo3cLU
CONTINUE READING ...
#Maicaquices, News
COMO ASSIM? O primeiro vídeo do Canal do Maicon!
14 de maio de 2015 at 23:09 2
Minha vontade de ter um canal no YouTube era grande! Há anos sempre pensava: O que postar? o que fazer? o que falar? Chega uma hora que você diz "foda-se", vou postar e falar o que me faz bem e me representa! Nesse primeiro vídeo reuni vários pensamentos meus que me levavam a me questionar... COMO ASSIM? Coisas que, no meu ponto de vista, deveriam ser mais simples! Assita, compartilhe e se inscreva no canal! Toas as quintas, às 11hs, um vídeo novo no #CanalDoMaicon!
CONTINUE READING ...